quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Cristina Marchese

A los amigos y colegas del cineclubismo, les hago llegar un cordial saludo y el deseo de un feliz año y que el 2009 venga cargado de buenas imágenes y buenas historias, que nos enriquezca, y ayude a ejercitar la mirada, en la reflexión y concreción de una sociedad mas justa... equitativa,... y disfrutable para todos... !!!
Que florezcan cineclubes... muchos cariños, felicidades !!!
Cristina Marchese
Presidente Cine Club Santa Fe
Sec.Federación Argentina de Cine Clubes
Secretaria Grupo Latinoamericano FICC



terça-feira, 30 de dezembro de 2008

président hafid

Echeverria y Castro en la revolución

Postamos a seguir texto base para a produção documental sobre a participação de José Antonio Echeverría e dos Castro na Revolução Cubana, que neste mês de janeiro completa 50 anos. O documentário será produzido por Leonardo Echeverria, companheiro do já extinto Cineclube Alvorada, de São Sepé/RS e por Taís Castro, socióloga residente em Porto Alegre que irão participar das Brigadas de Solidariedade a Cuba.

leia mais...

El Directorio Revolucionario

Las acciones del 26 de julio de 1953 influyeron decisivamente en las proyecciones del movimiento estudiantil y condicionaron sus características fundamentales a partir de entonces.

Bajo la dirección de José Antonio Echeverría La FEU se trazó una estrategia dirigida a derrocar al tirano por medio de la lucha armada y asegurar el desarrollo ulterior de la Revolución Cubana. Para poder llevar a cabo dicha estrategia fue preciso barrer de la dirección de la FEU a los elementos vacilantes y se desarrolló un rescate de la tradición revolucionaria de hombres como Julio Antonio Mella y Antonio Guiteras, lo que reunió al estudiantado universitario bajo una sola bandera de lucha y combate.

También formando parte de esa estrategia en el III Congreso Estudiantil efectuado en mayo de 1954, se tomaron acuerdos concretos con las organizaciones estudiantiles de los centros de enseñanza secundaria, lo que permitió el vínculo requerido para la coordinación práctica en la lucha contra el régimen batistiano.

Las acciones estudiantiles contra el régimen se iniciaron con fuerza en diciembre de 1955 con una combativa manifestación en Santiago de Cuba y los días 2 y 4 del mencionado mes en la capital se produjo otra manifestación en la que resultaron heridos y detenidos José Antonio Echeverría, Fructuoso Rodríguez y Alfredo Echeverría y el día 7 del mismo mes, continuó la ofensiva revolucionaria de los estudiantes en el parque Maceo donde le rindieron tributo al "Titán de Bronce" y además, como apoyo a la huelga azucarera que se desarrollaba por aquellos días la cual se encontraba en su punto culminante.

Fue en aquellos momentos en que José Antonio Echeverría haciendo un análisis de la situación que vivía el país, decidió crear el Directorio Revolucionario (D.R.) lo que se hizo realidad el 24 de febrero de 1956, en el Aula Magna de la Universidad de La Habana.

Aquel hecho se hizo públicamente y se proclamaron los objetivos y fines que se perseguían con la fundación del D.R. declarándose en la proclama de constitución de esta organización lo siguiente: …"La FEU a través del Directorio Revolucionario, se propone coordinar todos los esfuerzos necesarios para la acción insurreccional necesaria al derrocamiento de la actual tiranía y para el establecimiento del Estado revolucionario"…

Los dirigentes principales del D.R. eran José Antonio Echeverría como secretario general, Fructuoso Rodríguez segundo secretario, Faure Chomón jefe de acción, Julio García Oliveras segundo jefe de acción, Joe Westbrock a cargo de los profesionales, Jorge Valls para el movimiento obrero y Samuel Cherson en propaganda (los dos últimos traidores posteriormente).

La creación del D.R. tuvo una gran significación pues constituyó el brazo armado de la FEU y la organización revolucionaria de vanguardia de los estudiantes, que se caracterizaba por el carácter selectivo para integrarse en sus filas y a la vez era la expresión más genuina de las mejores tradiciones de lucha del estudiantado cubano.

Como parte de la necesaria unidad entre las fuerzas revolucionarias que luchaban contra la tiranía, el 30 de agosto de 1956, tuvo lugar en México una entrevista entre Fidel Castro y José Antonio Echeverría en la cual ambos dirigentes, firmaron un documento que la historia ha recogido con el nombre de "Carta de México" o Pacto de México en el cual, el D.R. y el M-26-7 se comprometían a llevar a cabo en una estrecha coordinación la lucha revolucionaria por lo que en dicho documento se declaraba entre otras cosas que ambas organizaciones decidieron: …"unir sólidamente sus esfuerzos en el propósito de derrocar la tiranía y llevar a cabo la Revolución Cubana"…

En el texto del documento se hizo un llamado a la unión de todas las fuerzas revolucionarias, morales y cívicas del país, de los estudiantes, los obreros, las organizaciones juveniles y todos los hombres dignos de Cuba y se afirmaba ..." la Revolución llegará al poder libre de compromisos e intereses, para servir a Cuba en un programa de justicia social, de libertad y democracia, de respeto a las leyes justas y de reconocimiento a la dignidad plena de todos los cubanos, sin odios mezquinos para nadie "...

La publicación del mencionado pacto en Cuba, el 2 de septiembre de 1956 en un momento en que los partidos burgueses de oposición se hallaban sumidos en el pantano de la búsqueda de una conciliación con la dictadura, provocó un gran impacto y por otro lado, los partidarios de Batista se alarmaron ante las perspectivas que se abrían para la lucha insurreccional.

En octubre del propio año 1956, se produjo un nuevo encuentro entre Fidel y José Antonio Echeverría y otros dirigentes del D R para analizar las acciones concretas contra el régimen usurpador. Aunque ambas organizaciones coincidían en que había que llevar a cabo la lucha armada contra Batista, no tenían el mismo criterio en cuanto al método, ya que los compañeros del D.R. se manifestaban por un método de lucha armada en La Habana y otras ciudades, el M-26-7 se pronunciaba por la lucha guerrillera en las montañas. Fue entonces que Fidel propuso proceder a la ejecución de las acciones cada organización con su método pues en definitiva, el empleo simultáneo de ambos métodos fortalecía indudablemente la lucha contra la tiranía. Esta proposición fue aceptada por los dirigentes de ambas organizaciones.

postal_ficc



Agradeço o apoio e a confiança depositada ao longo deste ano de 2008 e reforço nossos laços de amizade e compromisso com o cineclubismo, com os direitos do público e pela paz!
Feliz 2009!
Claudino

--
Antonio Claudino de Jesus
Presidente do CNC
Vice Presidente da Federação Internacional de Cineclubes - FICC

mensagem_gabo

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Lançamento do longa-metragem Dias e Noites

Cineclube Lanterninha Aurélio -
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros
Projeto Cultural CESMA -Santa Maria/RS - desde 1978
Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria

Lançamento do longa-metragem Dias e Noites

Atravessando três décadas, a história mostra a trajetória de uma mulher que ao casar com um rico fazendeiro, enfrenta uma realidade conjugal quase que insustentável. Clotilde foi uma mulher que viveu à frente de sua época e não se conformava com o tratamento que recebia do marido. Sofrendo agressões físicas e morais, ela sai de casa, tornando-se uma mulher desquitada e mal vista pela sociedade. Após perder todos os seus direitos e a guarda dos filhos, Clotilde inicia uma longa luta para tentar recuperá-los. Ela perde a filha, resgata a guarda da neta, quebrando assim o ciclo de uma época em que a mulher era subjulgada socialmente. Este quarto longa-metragem de Beto Souza é uma adaptação do romance de Sérgio Jockymann, publicado em 1982. Dias e Noites conta com as interpretações de Naura Schneider, Antônio Calloni, José de Abreu, entre outros.


Ficha técnica

80 min/2007
Direção: Beto Souza
Uma produção: Film Factory do Brasil / Voglia Filmes
Distribuição: Playart
Roteiro: Lulu Silva Teles/Pedro Zimmermann / Rafael Dragaud
Produção: Aletéia Selonk, Beto Rodrigues e Naura Schneider
Elenco: Naura Schneider (Clotilde)
Antônio Calloni (Pedro Ramão)
Dan Stulbach ( Felipe Clerbon)
Zé Vítor Castiel (Motta)
Marcela Muniz (Celeste)
José de Abreu (Aires de Lucena)
Diretor de Fotografia: Renato Falcão
Diretor de Arte: Voltaire Danckwardt
Música: Guto Graça Mello
Montagem: João Paulo Carvalho

O que: Lançamento do longa-metragem Dias e Noites
Quando: 17 de dezembro de 2008, às 19h
Onde: Auditório João Miguel de Souza – Centro Cultural Cesma
Quanto: gratuito, sendo necessária a retirada antecipadamente de senha na Cesma

Realização: Prefeitura Municipal de Santa Maria e Cesma / Cineclube Lanterninha Aurélio.

Cesma 30 anos de Cooperação e Cultura .

Rua Professor Braga, 55 - Centro - Santa Maria / RS
Telefone - 55 3221 9165 - 3222 8544
www.cineclubelanterninhaaurelio.blogspot.com
www.cesma.com.br



terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Feliz Ano Velho . 10.12

Cineclube Lanterninha Aurélio
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros
Projeto Cultural CESMA -Santa Maria/RS - desde 1978
Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria


Proximas sessões:

* Dia 10/12/08

Feliz Ano Velho
Direção: Roberto Gervitz (105 min, Brasil, 1988)
Roteiro baseado no livro: Feliz Ano Velho de Marcelo Rubens Paiva

Mario dá adeus à sua adolescência ao mergulhar e bater a cabeça em uma pedra no fundo de um lago. Em crise, o que parecia difícil fica pior e o rapaz, diante do que parecia o fim, começa a reviver e resgatar momentos importantes de seu passado, até descobrir uma nova força em sua vida. No elenco : Marcos Breda, Malu Mader, Eva Vilma, Marco Nanini, entre outros.

Apresentação e Debate:

Francine Nunes da Silva
Cientista Social
Pesquisadora em Cineclubismo





* Dia 17.12.08

Lançamento do longa "Clô, dias & noites"

Uma adaptação do romance de Sérgio Jockymann, publicado em 1982, e rodado algumas cenas em Santa Maria no ano de 2007.
Dirigido por Beto Souza, com José de Abreu, Antônio Calloni, Naura Schneider.

>>>

Cineclubismo
Debates e sessões - quartas-feiras - 19 horas - entrada gratuita
Auditório João Miguel de Souza - Centro Cultural Cesma – 3º andar
Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria -
Cesma 30 anos de Cooperação e Cultura .

Rua Professor Braga, 55 - Centro - Santa Maria / RS
Telefone - 55 3221 9165 - 3222 8544

cineclubelanterninhaaurelio@gmail.com
www.cineclubelanterninhaaurelio.blogspot.com
www.cesma.com.br

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Literatura e cinema, cena 3, tomada 7


Não será a primeira nem a última vez que o Cineclube Lanterninha Aurélio promove um ciclo de filmes com o enfoque “literatura e cinema”. Isso já foi feito pelo menos outras duas vezes, durante edições recentes da Feira do Livro.

Como teremos outra estréia com data marcada para o dia 17 deste mês, com o filme Clô, dias & noites, uma adaptação do romance de Sérgio Jockymann, publicado em 1982, e rodado em Santa Maria no ano passado em Santa Maria, dirigido por Beto Souza, com José de Abreu, Antônio Calloni, Naura Schneider, entre outros; colocamos em votação outros filmes adaptados para integrarem a programação mais curta do mês de dezembro, já que dias 24 e 31 não haverá sessão.

Os mais votados:

Meu pé de laranja lima – 03/12
Direção: Aurélio Teixeira

Feliz Ano Velho – 10/12
Direção: Roberto Gervitz




Baseado no best-seller de José Mauro de Vasconcelos. Drama infantil que emocionou muitas gerações. A história de Zezé, um menino pobre de seis anos, inteligente, sensível e carente. Carente de um afeto que não encontra na família - ninguém tem muita paciência com ele. O endiabrado garotinho sai pelas ruas fazendo mil travessuras. Aprende tudo sozinho, é o "descobridor das coisas". Percebe que na vida existem alegrias, como ter um amigo, e também tristezas, como quando o amigo vai embora para sempre. Uma de suas maiores surpresas é perceber que pode cantar sem abrir a boca – ou seja, ficar pensando em uma música e deixá-la tocar dentro da cabeça. Quando a família se muda para uma casa onde há muitas árvores no quintal, cada irmão escolhe uma para si – um fica com a mangueira, outro pega o pé de tamarindo e assim por diante. Sobra para Zezé um pequeno pé de laranja lima. No entanto, essa árvore fica tão amiga que eles conversam muito e até brincam juntos. Zezé inventa para si um mundo de fantasia em que o grande confidente é Minguinho, o pé de laranja lima. Mas a vida lhe ensina tudo cedo demais, e Zezé descobre a dor e a saudade, assim como a ternura e o carinho no afeto do solitário português Manuel Valadares.

Apresentação e debate de Meu pé de laranja lima conduzidos por Geice Peres Nunes, formada em letras pela UFSM e
Mestranda em Estudos Literários também pela UFSM.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Cidade Oculta - 26.11.08

O Cineclube Lanterninha Aurélio dá continuidade ao ciclo da Programadora Brasil. Nesta quarta, 26 de novembro, apresentamos Cidade Oculta.

Segundo longa-metragem de Chico Botelho, Cidade Oculta é uma aventura urbana que conta a história de Anjo, um marginal que vive com Shirley Sombra, estrela de boates decadentes, e com o velho companheiro Japa. O filme se apresenta como uma síntese de variados gêneros cinematográficos, usando a arquitetura futurista de São Paulo como cenário natural da trama.

Faz referência a vários elementos da cultura pop, aos filmes noir e foi inspirado no quadrinho "Spirit", de Will Eisner. O elenco conta com Carla Camurati e possui a participação especial de Jô Soares, Cláudio Mamberti e do músico Arrigo Barnabé, que também assina a trilha sonora.

Cidade Oculta venceu o Rio Cine Festival de 1986, rendo recebido também os prêmios de melhor direção, ator coadjuvante, música original e fotografia.

Direção: Chico Botelho
SP, 1985, fic, cor, 75'

O que: Cidade Oculta

Quando: 26 de novembro, às 19h30min - excepcionalmente

Onde: Auditório João Miguel de Souza – Centro Cultural Cesma
Quanto: de graça

Obs: A sessão desta quarta-feira, dia 26, terá início às 19h30min para que os alunos do EJA da escola Diácono João Luiz Pozzobon participem da programação

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Carta aberta de apoio

Prezados,

A 27 ª Jornada Nacional de Cineclubes é uma realidade a partir desta segunda-feira, 17 de novembro de 2008, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Cineclubistas, cineastas e demais pessoas e entidades que trabalham na defesa de políticas públicas para o cinema brasileiro sabem das atividades que o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros – vem desenvolvendo nesses últimos anos.

Em 2008 celebramos 80 anos do Movimento Cineclubista Brasileiro e são inúmeras as propostas e conquistas do CNC, entre elas:
- a rearticulação e cadastramento de cineclubes em todo o país;
- a organização de três Encontros Ibero-Americanos de Cineclubes;
- o apoio efetivo na concepção e estruturação da Programadora Brasil;
- a realização de oficinas;
- a participação na maioria das entidades do cinema nacional; e
- a eleição do cineclubista Antônio Claudino de Jesus para a Vice-Presidência da FICC – Federação Internacional de Cineclubes.

Esses são apenas alguns exemplos que demonstram a seriedade e o compromisso do CNC com nossa maior causa: a defesa do público. Algumas pessoas tem se destacado nacionalmente por suas posturas objetivas e defesa absoluta do cineclubismo. Entre elas destacamos Antônio Claudino de Jesus, João Baptista Pimentel Neto e Felipe Macedo.

A Jornada que agora se inicia é um encontro eletivo. Desde já antecipamos nosso apoio total e irrestrito para a reeleição de Antônio Claudino de Jesus para a Presidência do Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros. Acreditamos ser esse um momento de continuidade e avanço nas propostas e conquistas que o CNC, através do Claudino de Jesus, vem realizando nacional e internacionalmente. Em nome da coordenação do Festival Santa Maria Vídeo e Cinema, um festival cineclubista, que valoriza o debate e a exibição entendemos a importância dessa atividade no país e a sua contribuição efetiva no contexto internacional.


Luiz Alberto Cassol
Vice-Presidente do CNC / Coordenador Geral do Festival Santa Maria Vídeo e Cinema / Integrante da Coordenação do Cineclube Lanterninha Aurélio

Paulo Henrique Teixeira / Coordenador do Cineclube Lanterninha Aurélio / Assessor de Comunicação da CESMA – Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria

Bebeto Badke
Coordenador do Cineclube UNIFRA / Coordenador Executivo do Festival Santa Maria Vídeo e Cinema / Suplente da Diretoria do CNC

Gilvan Dockhorn
Coordenador do Cineclube Vagalume – Caçapava do Sul / Professor da URCAMP RS

7º santa maria vídeo e cinema

www.smvc.org

terça-feira, 11 de novembro de 2008

O Homem Nu

Cineclube Lanterninha Aurélio
Projeto Cultural CESMA -Santa Maria/RS - desde 1978
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros
-
12.11.08
O Homem Nu
Direção: Hugo Carvana
Duração: 75 min
Ano: 1997


Sílvio Proença precisa embarcar a contragosto para São Paulo, a fim de divulgar seu novo livro. No aeroporto, encontra um grupo de velhos companheiros. Com o embarque cancelado devido a uma forte tempestade, o grupo segue para o apartamento de Marinalva, sobrinha de um dos amigos de Proença, onde o grupo dá continuidadeà reunião.
Seduzido pela música e pelos encantos de Marinalva, Proença passa a noite ali mesmo, despertando no dia seguinte, completamente nu.

Ainda zonzo da ressaca, vai apanhar o pão deixado à porta do apartamento. É quando o vento fecha a porta e o deixa completamente nu do lado de fora.


------


Cineclubismo

Debates e sessões - quartas-feiras - 19 horas - entrada gratuita
Auditório João Miguel de Souza - Centro Cultural Cesma – 3º andar
Rua Professor Braga, 55 - Centro - Santa Maria / RS

Telefone - 55 3221 9165 - 3222 8544

cineclubismo brasileiro
80 anos de compromisso com o público e cinena

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

uma das noites mais blues do sul do país


O Cesma in Blues já tem sua história consagrada na cidade e no cenário musical do Rio Grande do Sul. A trajetória iniciou em 2002 ocupando o palco do Theatro Treze de Maio com bandas locais que movimentavam a noite santa-mariense, Red House, Daniel Rosa & Saturno Blues e Paulo Noronha & Os Watts. A grande repercussão e a inclusão de artistas de fora da cidade provocaram a busca por um espaço maior. Assim, as edições de 2003, 2004 e 2005 percorreram as principais casas noturnas da cidade com atrações como os santa-marienses Lappan & The Bluesbrothers, Artur Aguiar & Os Colhedores de Algodão e Celso Streit, o porto-alegrense Andy Boy, de Florianópolis Mustache Maia e o Blues Power Trio (RJ).

A partir de 2006, o evento passa a ter incentivo da LIC/SM (Lei de Incentivo à Cultura) e a ser realizado no ATC – Avenida Tênis Clube, clube tradicional da cidade, que oferece estrutura adequada, consolidando a marca Cesma In Blues como um dos grandes acontecimentos culturais da cidade. E assim puderam participar Azambujas Bluesband de São Leopoldo e Marcos Boi & Mad Dog Blues de Sorocaba (SP).

Em 2007 o Cesma In Blues recebeu músicos importantes da cena nacional - Big Joe Manfra Blues Band & Jefferson Gonçalves (RJ), além da atração internacional, o excelente gaitista norte-americano Peter MadCat. Esse time deu ao evento a visibilidade que faltava no centro do país. Todos os músicos e interessados no segmento conhecem ou ouviram falar do festival Cesma In Blues, que hoje passa a ser uma referência.

O QUE:

7ª edição do Cesma In Blues. Uma das noites mais blues do sul do país.

Com as bandas:

· Celso Streit, de Santa Maria

· Décio Caetano, de Curitiba

· Beale Street, do Rio de Janeiro

· Robson Fernandes, de São Paulo

QUANDO: 08 de novembro, a partir das 23 horas.

ONDE: ATC (Avenida Tênis Clube)

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Tudo é Brasil

Depois da pré-estréia de Netto e o Domador de Cavalos, longa-metragem dirigido e roteirizado por Tabajara Ruas que, juntamente com os atores Sirmar Antunes e Evandro Elias, esteve presente à sessão debatendo com o público que lotou o Auditório João Miguel de Souza.

O Cineclube Lanterninha Aurélio segue trabalhando com o ciclo: Memória em Movimento, Movimento pela Memória, apostando no documentário de Rogério Sganzerla "Tudo é Brasil".

Neste documentário Sganzerla revela a história secreta do filme It's all True, dirigido e rodado por Orson Welles no Brasil, em 1942. Ele retrata o cotidiano dos negros, o subúrbio carioca, os jangadeiros de Fortaleza e revela o encanto do cineasta ao conhecer a cultura e a criatividade do povo brasileiro.

A apresentação e o debate serão conduzidos pela pesquisadora e documentarista Carolina Berger.

A programação deste mês, com exceção do Netto e o Domador de Cavalos, foi montada através do acervo adquirido pelo Cineclube Lanterninha Aurélio junto à Programadora Brasil.

15.10.2008

Tudo é Brasil: (RJ, 1998, doc, PB e cor, 82')

Direção, produção, roteiro e pesquisa: Rogério Sganzerla

Música: João Gilberto e Rogério Sganzerla

Depoimentos: Richard Wilson, Roberto Wise, Bill Krohn, Edmar Morel, Paula Lima, H.G.Wells, Ary Barroso e Dorival Caymi.

Participações: Grande Otelo, Carmem Miranda, Dalva de Oliveira, Linda Batista, Herivelto Martins e Orson Welles.

---------
Cineclube Lanterninha Aurélio
Projeto Cultural CESMA -Santa Maria/RS - desde 1978
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

Cineclubismo

Debates e sessões - quartas-feiras - 19 horas - entrada gratuita

Auditório João Miguel de Souza - Centro Cultural Cesma – 3º andar

Rua Professor Braga, 55 - Centro - Santa Maria / RS

cineclubelanterninhaaurelio@gmail.com

Telefone - 55 3221 9165 - 3222 8544

Cineclubismo: 80 anos democratizando o audiovisual brasileiro

sábado, 4 de outubro de 2008

Pré-estréia de Netto e o Domador de Cavalos

O Mestrado em Ciências Sociais da UFSM e a Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria Ltda – CESMA, promovem na próxima quarta-feira, 8 de outubro, a pré-estréia do filme Netto e o Domador de Cavalos, dirigido por Tabajara Ruas e lançado neste ano no 36º Festival de Gramado. A exibição do filme acontece, às 19h, com entrada franca.

Para participar da sessão é necessário a apresentação de uma senha que deve ser retirada antecipadamente na CESMA. Foram colocadas à disposição apenas 150 senhas. Os outros lugares serão preenchidos por convidados e jornalistas.
Após a sessão, haverá um debate com o diretor e os atores Sirmar Antunes e Evandro Elias.

Netto e o Domador de Cavalos integra o ciclo de filmes exibidos no mês de outubro, dentro da programação regular do Cineclube Lanterninha Aurélio, chamado "Memórias em movimento – movimentos pela memória" e encerra a programação do Seminário Antropologia e Memória – Experiências de Pesquisa em Ciências Sociais, promovido pelo Mestrado de Ciências Sociais da UFSM.

Netto e o Domador de Cavalos reconta, sob um novo prisma, a mais popular lenda rio-grandense "O Negrinho do Pastoreio". No início da Guerra dos Farrapos, o general Antonio de Souza Netto descobre que seu antigo parceiro, Índio Torres, está preso. Para libertá-lo, envolve-se com escravos rebelados. Entre eles, o Negrinho, o melhor ginete da fronteira. A luta pela república, pela libertação dos escravos contra a tirania e a opressão, amor, humor e um amplo painel do século 19. Este terceiro longa-metragem de Tabajara Ruas é uma sequência de "Netto Perde sua Alma", lançado em 2001. Netto e o Domador de Cavalos conta com as interpretações de Werner Schünemann, Evandro Elias, Tarcísio Filho, entre outros

O que: pré-estréia do filme Netto e o domador de cavalos
Quando: 8 de outubro, às 19h
Onde: Auditório João Miguel de Souza – Centro Cultural Cesma
Quanto: gratuito, sendo necessária a retirada de senha na Cesma

---------------

Ficha Técnica:
Realização e Argumento: Tabajara Ruas
Produção Executiva e Montagem: Lígia Walper
Produção: Lígia Walper, José Antonio Severo, Liliane Motta da Silveira, Tabajara Ruas
Direcção de Arte: Liliane Motta da Silveira
Direcção de Produção: Elias da Rosa
Direcção de Fotografia: Ivo Czamanki
Som: Cristiano Scherer
Música: Vítor Ramil
Elenco: Werner Schünemann, Evandro Elias, Tarcísio Filho, Aurelino Costa, Fernanda Carvalho Leite, Júlio Conte, Miguel Ramos , Marcos Barreto, Nélson Diniz, Nico Nicolaievsky, Rogério Beretta, Sirmar Antunes, Zé Adão Barbosa, Zé Vitor Castiel


sexta-feira, 3 de outubro de 2008

imaginar para resistir

Repasso mensagem enviada pelo Gabo, companheiro do Mundokino do México, que muito tem contribuído para a reflexão sobre nosso papel nessa história toda.

Camaradas queridos
les mando el link del último editorial de Mundokino donde hemos empezado a publicar nuestras opiniones sobre los obstáculos para los Derechos del Público. "Imaginar para resistir" es el título y estoy seguro de que ayudará abrir y enriquecer esta reflexión como parte de nuestra campaña a favor de las culturas.

Abrazos muchos, saudades y cariño para tod@s

http://mundokino.net/node/440

sábado, 30 de agosto de 2008

novo mês, novo ciclo


Ciclo de setembro: Road Movies


O Cineclube Lanterninha Aurélio neste mês de setembro apresenta o ciclo Road Movies. Como o próprio nome sugere, são filmes que se passam na estrada. A narrativa acontece por meio de encontros, desencontros, ilusões, recomeços e mortes, enfim, há sempre um conflito. No entanto, esse conflito não é somente externo, ele também é existencial, causando crises de identidade das personagens, que mudam suas vidas.

As sessões do Cineclube acontecem todas as quartas, às 19 horas no auditório da Cesma (Rua Professor Braga, 55).


Confira as atrações do ciclo Road Movies:

03/09 – Assassinos Por Natureza, 1994, EUA

10/09 – E Sua Mãe Também, 2001, MEX

17/09 – A Família Rodante, 2004, ARG

24/09 – Coração Selvagem, 1990, EUA



Sinopse: Assassinos Por Natureza


Mickey Knox (Woody Harrelson) e Mallory Knox (Juliette Lewis) se uniram pelo desejo que um sente pelo outro e por amarem a violência. Eles mataram algumas dezenas de pessoas em três semanas, mas sempre deixam alguém vivo para contar quem fez os crimes. Mickey e Mallory viram atração através da imprensa sensacionalista e o repórter Wayne Gale (Robert Downey Jr.), o principal responsável, os coloca no programa de televisão American Maniacs. Mesmo a captura deles pela polícia só aumenta a popularidade enorme dos criminosos, o que motiva Gale em transformar tudo num grande circo.


Fonte: www.adorocinema.com.br



quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Edição em Software Livre !!!!

No blog Audiovisual Profissional, podemos encontrar várias dicas, vídeos, sobre edição em Linux... Quem tiver curiosidade e/ou dúvidas ali pode encontrar a solução. O blog é tocado por Alexsandro Pedrollo, grande camarada da TV OVO!

http://audiovisualpro.blogspot.com

terça-feira, 26 de agosto de 2008

artigo (((GRL)))

Compartilho um artigo do camarada Gérson



boa leitura

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

matéria da revista de cinema



clique na imagem para ampliá-la e boa leitura, apesar que a Esperança confere importância ao ecad que, como cineclubista, não concordo.

80 anos


Revista de Cinema em sua edição 89, deste mês, publicou nota sobre os 80 anos do cineclubismo no Brasil. Essa mesma revista já havia feito referência à morte de Luiz Orlando, cineclubista bahiano muito querido por todos.

Programadora Brasil

Últimos dias de inscrições de filmes para o

catálogo da Programadora Brasil

O processo vai até o dia 1º de setembro, sendo aberto a obras audiovisuais

brasileiras de qualquer gênero, formato e ano de produção

Realizadores de cinema interessados em ver suas obras circulando em pontos não-comerciais de exibição, em todo o país, ainda podem inscrever seus títulos para o catálogo da Programadora Brasil, até o dia 1º de setembro. Os filmes inscritos vão formar um banco de dados que ficará disponível para o trabalho de curadoria e organização dos novos programas. A Programadora disponibiliza filmes e vídeos em DVD, por meio de permissão de uso, para pontos de exibição audiovisual como escolas, universidades, cineclubes, centros culturais e pontos de cultura. Já são cerca de 600 núcleos associados, em mais de 320 municípios nos 27 estados brasileiros.

Até 20 de agosto, 122 títulos nacionais foram inscritos, sendo que a porcentagem de ficções e documentários estão iguais, 43% cada, e também as animações e os experimentais apresentam o mesmo percentual 7% do total. Vale ressaltar que 14 estados do país já têm representantes inscritos, com destaque para o Rio de Janeiro, com 42 filmes, seguido por São Paulo, com 27, e Santa Catarina e Minas Gerais, ambos com 10. Os demais estados que apresentam produções inscritas são Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. Dos inscritos, 75% são obras com duração até 30 minutos, 12% são produções de 31 a 69 minutos e 13% são longa-metragens.

As inscrições, que foram abertas no dia 18 de julho, podem ser feitas por pessoas físicas ou jurídicas, para obras audiovisuais de qualquer gênero, formato e ano de realização, desde que possuam o CPB – Certificado de Produto Brasileiro, emitido gratuitamente pela Ancine – Agência Nacional de Cinema (www.ancine.gov.br). Os títulos devem ter duração mínima de cinco (5) minutos e máxima de cento e vinte (120) minutos, sendo que não serão aceitas séries realizadas para TV.

Para inscrever um ou mais títulos, o responsável deve ler atentamente o regulamento no site www.programadorabrasil.org.br e, concordando com as condições, preencher a ficha de informações do filme e encaminhar uma cópia da obra em DVD para a Cinemateca Brasileira, aos cuidados da Coordenação de Programação e Produção da Programadora Brasil. Os títulos ficarão disponíveis para a consulta da comissão de curadoria.

Em caso de inclusão no catálogo do projeto, os filmes e vídeos serão contratados, sem exclusividade, pelo período mínimo de três anos e serão disponibilizados em DVD para pontos de exibição não-comerciais associados ao projeto, através de um sistema on-line de aquisição. Os títulos incluídos recebem um valor fixo pelos direitos patrimoniais e também por cada cópia de mídia adquirida (de acordo com tabela do projeto). Vale ressaltar que a inscrição não garante a inclusão do título, que pode ou não ocorrer em qualquer prazo.

Atualmente, o catálogo da Programadora Brasil soma 330 títulos, organizados em 103 DVDs temáticos. São filmes históricos e contemporâneos, curtas, médias e longa-metragens de todos os gêneros (animação, documentário, experimental e ficção), que compreendem nove décadas da produção nacional. Entre os filmes do acervo estão “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, “Sargento Getúlio”, “Ilha das Flores”, “Macunaíma”, “Aruanda”, “Bang Bang”, o “Homem que virou suco”, “São Paulo S/A”, “A Velha a Fiar”, entre outros.

SERVIÇO

Inscrições de obras audiovisuais para a Programadora Brasil através do site www.programadorabrasil.org.br
Data: 18 de julho até 1º de setembro de 2008
Endereço: Rua Capitão Macedo, 580, Vila Clementino / CEP 04021-020 - São Paulo - SP

PROGRAMADORA BRASIL

Realização: Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura / Cinemateca Brasileira e Centro Técnico Audiovisual

Informações: www.programadorabrasil.org.br

Mabel Gomes
Assessoria de Imprensa
PROGRAMADORA BRASIL
(21) 2580-3631 r: 239 e 240
(21) 9233-3972
www.programadorabrasil.org.br
_

Cineclubismo: 80 anos democratizando o audiovisual brasileiro!

NÓS SOMOS O PÚBLICO!

terça-feira, 19 de agosto de 2008

80 anos de Cineclubismo no Brasil




Este ano comemoramos os 80 anos do Chaplin Club, primeiro cineclube formalmente constituído no Brasil. Mas o significado do cineclubismo para o cinema no Brasil, para o cinema brasileiro, para a cultura e para o público vem de antes e vai muito além desse período.

O cineclubismo constitui uma matriz fundadora do cinema. Vai na mão contrária à do cinema comercial, cujo norte é unicamente o lucro e, em que pese ter criado fatos, eventos, astros e filmes memoráveis, volta-se para a repetição das fórmulas, para a manutenção do estabelecido e, pior, para a dominação dos mercados – e portanto para o sufocamento das expressões culturais diversas ou autônomas, em que o público é platéia inerme e burra, consumidor, objeto. Sob seu reinado, implantou-se um cinema monolíngue, monocórdico, unilateral e excludente.

Já o cineclubismo, que se define por justamente não visar o lucro, foi a inspiração e a origem das mais importantes instituições do cinema e do audiovisual: nos cineclubes nasceu a crítica cinematográfica e uma imprensa de debate, dos cineclubes derivam as cinematecas, deles vieram os festivais de cinema. Nos cineclubes formaram-se – e ainda se formam - os maiores nomes do cinema. E é em torno os cineclubes que se estrutura o que há de cinema nacional nos países mais arrasados pela presença esmagadora da produção hollywoodiana. Os cineclubes surgiram, na verdade há mais de 80 anos, exatamente para denunciar a unilateralidade e a uniformidade do cinema reduzido a instrumento do capital. Os cineclubes nasceram e são até hoje os únicos e os legítimos representantes do público. A consciência e a voz do público que se organiza, que é sujeito – e não objeto – do processo cultural.

Felipe Macedo

Presidente da Federação Paulista de Cineclubes




cineclube/cesma & canal futura

Mais uma parceria firmada. Mais material para o acervo. Novas possibilidades de exibição e discussão.

sobreautoral

A rede ganha um espaço para discussão e reflexão dos direitos autorais. Essa é a dica da semana, acessem o sobreautoral do BRUNO LEWICKI que é advogado no Rio de Janeiro, doutor e mestre em direito civil pela UERJ, professor dos cursos de pós-graduação do INPI e da PUC-Rio, coordenador editorial da Revista Trimestral de Direito Civil, autor de A privacidade da pessoa humana no ambiente de trabalho e co-autor do Código Civil comentado conforme a Constituição da República, ambos pela Editora Renovar, além de artigos sobre direito autoral, direitos da personalidade, contratos, responsabilidade civil, ensino jurídico e outros temas.
Adicionamos o link também na aba "para compartir".

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

japanimações

  • Muitas vezes passamos por tempos difíceis acompanhe a saga de 2 irmãos tentando sobreviver durante o horror e o pânico da 2ª Guerra Mundial, tendo que fazer o impensável para continuarem vivos. Venha presenciar como os efeitos provocados pela guerra transformam todas as pessoas expondo seus lados mais mesquinhos e cruéis...


  • Um dos temas mais debatidos em discussões é o que aconteceria se a história tivesse rumos diferentes. Várias vezes debate-se como as coisas poderiam ser melhores. Venha presenciar as conseqüências da vitória da Alemanha Nazista e os desdobramentos em uma nação, permeados por um conto infantil em sua forma bruta antes de passar pela reformulação feita pelos irmãos Grimm.


  • A história é feita de lutas e guerras, muitas vezes injustas, por vezes sangrentas. Grandes conflitos retratam eras conturbadas. Assista com uma riqueza de detalhes jamais vista o que significou o feudalismo vendo o conturbado período do final do Xogunato Tokugawa e o início da Restauração Meiji. Acompanhe a trajetória de um guerreiro de um grupo revolucionário lutando por seus ideiais em uma época a qual todos acreditavam estarem certos...